Fenossilagens FERTIPRADO conquistam 1º e 3º lugar do II Concurso Nacional de Forragens

 

A Genética FERTIPRADO foi reconhecida na 2ª edição do Concurso Nacional de Forragens, ocupando dois dos três lugares do pódio, desta competição organizada pela revista Ruminantes. “O principal segredo está na qualidade da genética. No entanto o nosso sistema de produção de forragens, com elevada rapidez desde o corte ao embalamento, permite uma conservação mais eficiente da fenossilagem com os consequentes ganhos de qualidade”, afirma João Caldeira.

O responsável da FERTIPRADO pela área de Multiplicação de Sementes explica que a empresa fez este ano cerca de 900ha destas espécies forrageiras que permitem um corte para forragem a meio do seu ciclo. “Em parceria com agricultores do Alentejo e Ribatejo, temos vindo a melhorar o nosso sistema operacional e técnico, produzindo forragem da mais alta qualidade”.

O 1º lugar do II CNF foi atribuído a uma fenossilagem de Azevém de uma variedade comercializada em exclusivo pela FERTIPRADO. O premiado foi o agricultor António Gonçalves, parceiro da empresa na multiplicação de sementes. “Foi feito um 1º corte bastante cedo, a uma planta ainda muito jovem, de folha muito fina, o que se traduz numa maior digestibilidade e num elevado teor de proteína. As análises qualitativas obtidas em 3 laboratórios de 3 países diferentes, revelaram-se muito semelhantes, com valores médios de 27% de PB e de 0,91 UFL”, salienta João Caldeira.

A Fertiprado conquistou ainda o 3º lugar com uma fenossilagem de Trevo da Pérsia, produzido em parceria com o agricultor António Vieira Lima. “Só pelo facto de ser uma leguminosa, o Trevo da Pérsia tem à partida muita qualidade”, frisa o responsável.

João Caldeira lembra que “a FERTIPRADO já tinha conseguido quatro das cinco melhores amostras selecionadas na primeira eliminatória”, das 32 amostras apresentadas a concurso, (14 do Alentejo, 11 do Minho e sete dos Açores), após as análises sensorial e química, elaboradas pelo laboratório da Associação Interprofissional de Leite e Laticínios (ALIP) que, desta vez, acrescentou a análise da proteína solúvel e do azoto amoniacal, importantes para melhor aferir a qualidade da conservação das silagens.

Essas cinco amostras foram depois submetidas a análises num laboratório Holandês (BLGG), cabendo ao júri do CNF fazer a avaliação final das amostras e atribuir as classificações, onde a FERTIPRADO obteve então dois dos três lugares premiados.

O responsável da FERTIPRADO pela área de Multiplicação de Sementes frisa que “o que nos diferencia verdadeiramente é a qualidade da Genética. A isto juntamos um processo de conservação onde todos os passos contam: corte com gadanheiras condicionadoras de elevado rendimento, utilização de picadoras de erva e, principalmente, a substituição de enfardadeiras convencionais por enfardadeiras fixas de alta pressão, que acondicionam muito melhor a forragem, eliminando todas as possíveis entradas de oxigénio”. “Há uma série de pormenores que devemos controlar o melhor possível: o momento do corte, o teor de matéria seca, o tipo de inoculante, a quantidade e a qualidade do plástico, o manuseamento dos fardos e até o seu armazenamento.”

O video acima ilustra todo o processo da produção de forragens da FERTIPRADO.

 

Comentários (0)

Comente este artigo

Cotações