Bovinos

Outros

Semana de 11 a 17 de novembro


Na semana em análise as cotações médias nacionais dos novilhos e novilhas de 12 a 24 meses, de raça Turina e cruzado de Charolês, mantiveram-se estáveis em relação à semana anterior.

Na região do Entre Douro e Minho a oferta e a procura de bovinos foram médias e equilibradas. Mantém-se a entrada de carne oriunda do mercado externo, principalmente de Espanha a preços inferiores e saída de vacas de abate e refugo para Espanha. Estabilidade de cotações nas duas áreas de mercado desta região, Entre Douro e Minho e Ribadouro.

Na Beira Litoral a oferta e a procura foram relativamente baixas nas três áreas de mercado, Aveiro, Coimbra e Viseu. A oferta de animais de abate continua insuficiente para satisfazer a procura. Registou-se nesta primeira semana do mês um ligeiro aumento do consumo de carne de bovino. Verificando-se contudo, estabilidade nas cotações em todas as categorias e áreas de mercado.

Na Beira Interior a oferta de bovinos foi relativamente abundante na área de mercado de Castelo Branco e média na Guarda; a procura foi média em ambas as áreas de mercado. As cotações mantiveram-se estáveis em relação à semana anterior.

No Ribatejo e Oeste, na área de mercado do Ribatejo, a oferta de bovinos foi média e a procura relativamente fraca. As cotações mantiveram-se estáveis em todas as categorias de animais.

No Alentejo a oferta e a procura de bovinos foi média nas áreas de mercado de Alentejo Litoral, Beja, Alentejo Norte, Elvas e Alentejo Litoral. Com exceção da área de mercado de Estremoz em que a oferta foi abundante e a procura média e na área de mercado de Évora a oferta foi média e a procura fraca. Verificou-se que na área de mercado de Évora, a cotação minima das Vitelas de 6 a 8 meses cruzado de Charolês desceu 15 cêntimos/Kg, e desceu 5 cêntimos/Kg na cotação máxima e mais frequente. A cotação das Vacas de abate cruzado de Charolês desceu 10 cêntimos/Kg na cotação máxima.

Na área de mercado Alentejo Norte as novilhas de 12 a 24 meses cruzado de Charolês subiram 15 cêntimos/Kg na cotação minima e na cotação mais frequente. A cotação do Vitelão fêmea de 8 a 12 meses cruzado de Charolês desceu 50 EUR/UNID. na cotação minima e 10 EUR/UNID. na cotação mais frequente.

Na área de mercado de Elvas a cotação das novilhas de 12 a 24 meses cruzado de Charolês desceu 5 cêntimos/Kg na cotação minima e 15 cêntimos/Kg na cotação máxima e na mais frequente, a cotação dos novilhos de 12 a 24 meses crazado de Charolês subiu 10 cêntimos/kg na cotação minima, desceu 5 cêntimos/Kg na cotação máxima e 10 cêntimos/Kg na cotação mais frequente. A cotação da Vaca de abate cruzado de Charolês desceu na cotação minima 1 euro e 10 cêntimos/Kg, 20 cêntimos/Kg na cotação máxima e 50 cêntimos/Kg na cotação mais frequente. A cotação da Vitela de 6 a 8 meses cruzado de Charolês desceu 10 cêntimos/Kg na cotação minima, o Vitelão fêmea de 8 a 12 meses cruzado de Charolês desceu 80 EUR/UNID. na cotação minima e 40 EUR/UNID. na cotação mais frequente. O Vitelão macho de 8 a 12 meses cruzado de Charolês desceu 140 EUR/UNID. na cotação minima, 130 EUR/UNID. na cotação máxima e 140 EUR/UNID. na cotação mais frequente. Por fim os vitelos de 6 a 8 meses cruzado de Charolês desceram 10 cêntimos/Kg nas cotações minima, máxima e mais frequente.
Verificando-se contudo, estabilidade nas cotações nas restantes categorias e áreas de mercado.

A tendência da Bolsa do Bovino foi de manutenção de cotações em todas as categorias.

FONTE: SIMA GPP

 

Cotações